Afinal, o que é resolução 4K?

Já há alguns anos, um dos destaques nas feiras de tecnologia em todo o mundo são as telas com resolução 4K. Fabricantes como LG, Sharp, Panasonic, Samsung e Sony têm TVs 4K à venda nas lojas. As fabricantes de monitores de PC já estão nesta área há algum tempo e há muitos modelos disponíveis no mercado.

Mas com tantas opções no mercado, vale a pena investir em um televisor 4K? Os preços são bem mais altos quando comparados com modelos Full HD. Um televisor com esta altíssima definição sai por pouco mais de R$ 3 mil, mas pode passar dos R$ 10 mil dependendo do tamanho e do modelo. Mas afinal, você sabe o que é 4K?

Como saltamos da resolução 1.080 para 4.000?

Vamos dar nomes aos bois. Antes do 4K, a resolução das TVs eram definidas por sua dimensão vertical. Você tinha 480 (também chamada de “definição padrão” ou 720 x 480 pixels), 720 (“alta definição” ou 1280 x 720 pixels) e 1080 (“Full HD” ou 1920 x 1080 pixels).

Resoluções classificadas como 4K ou maiores — que já existem em testes — ( como 5K ou 8K) são definidas por sua dimensão horizontal. A resolução mais comum de TVs 4K é de 3840 x 2160 pixels, e não 4 mil pixels através das bordas horizontais. Essa discrepância acontece por conta dos fabricantes, que decidiram arredondar o número e criar a classificação “ultra-high definition” ou, no português, “ultra-alta definição”.

Para deixar tudo isso um pouco mais confuso, há telas com a “verdadeira” resolução 4K, que é de 4096 x 2160 pixels, mas elas não são populares. Cerca de 98% dos aparelhos tem definição de 3840 x 2160 pixels.

Resumindo: não, não saltamos, literalmente, de 1080p para 4K. O tamanho da tela saltou de 1.080 pixels para 2.160 pixels na dimensão vertical e de 1.920 pixels para 3.840 pixels na dimensão horizontal.

Se o modo no qual nos referimos à resolução mudou, como 4K é quatro vezes mais definição do que 1080p?

Simplesmente porque 4K é quatro vezes o número total de pixelsque você encontraria em uma tela 1080p. O total do número de pixels em um monitor de 1920 x 1080 pixels é de 2.073.600; já em uma TV de 3840 x 2160 pixels, é de 8.294.400.

Resumindo: 4K é quatro vezes mais do que o número de pixels em uma tela 1080p (2.073.600 x 4 = 8.294.400.)

Como todos esses pixels a mais, não preciso nem pensar em comprar uma TV 4K em vez de uma com 1080p, o padrão de hoje, certo?

Não é bem assim. Qual é o tamanho da sua tela e qual a distância na qual você fica sentado dela? O que você pretende fazer com ela (assistir ou jogar)? É isso o que é necessária levar em conta ao decidir comprar uma TV 4K.

Em geral, é fácil ver a diferença entre 4K e 1080p quando você está perto da tela –então, caso você decida usar um monitor de PC 4K, você imediatamente notará a diferença, já que as imagens terão mais detalhes no mesmo espaço de tela. Mas, caso você queira comprar um televisor 4K, a forma como os móveis da sua sala estão arrumados e o tamanho da desejada TV são os fatores que determinam se você terá algum benefício com os pixels extras.

Resumindo: realmente, depende de cada situação para ver se vale a pena investir em um aparelho.

4K significa que a tecnologia dos monitores mudou?

Sim e não. A maioria dos televisores 4K disponíveis no mercado são de LED, que já estão por aí há algum tempo. Entretanto, a tecnologia OLED (LED orgânico; um tipo diferente de tecnologia) chegou finalmente em 2015 ao mercado por meio de fabricantes comoa LG. (A Panasonic mostrou na feira Consumer Electronics Show, a CES, realizada em janeiro de 2015, um protótipo de 65 polegadas com resolução 4K e tecnologia OLED, mas não temos informações de data de venda).

A tecnologia de plasma, uma das primeiras usadas nas TVs de alta definição, entrou em desuso por conta de reclamações dos usuários ao longo dos anos, que afirmaram que, com o uso, a imagem perde qualidade — além de acontecerem outros problemas como uma imagem que fica gravada na tela (o efeito burn-in), aquecimento e preço de fabricação. Então, é correto dizer que o 4K matou o plasma, já que é muito caro criar aparelhos com esta definição usando esta tecnologia. É mais em conta para as empresas fabricarem modelos de LED ou OLED.

Resumindo: não diretamente, mas parte do avanço do mercado para as telas de 4K (e para torná-las mais acessíveis), algumas empresas optaram por usar OLED em seus aparelhos.

Terei que comprar novos cabos para ligar meu videogame, aparelho de blu-ray e afins?

Apenas se você ainda não usar um cabo HDMI ou um DisplayPort. Caso já use, então você está preparado. A não ser que você queira ter um cabo HDMI 2.0, que é compatível com as TVs e monitores 4K mais recentes. Os cabos HDMI que você já possui devem funcionar, mas eles precisam ser classificados como “cabos de categoria 2 (Category 2).

Entretanto, enquanto não há incompatibilidade de cabos e você poderá assistir seus filmes, o tipo de portas compatíveis com sua TV ou com seu monitor vão definir a taxa de refresh que você pode ter. Entradas DisplayPort e HDMI 2.0 podem rodar imagens com resolução 4K a uma taxa de 60Hz, enquanto o HDMI 1.4 roda 4K a 30Hz. (O HDMI 1.3 ou inferior não suporta 4K.) Então, caso você compre um televisor 4K ou um monitor, confira cuidadosamente suas especificações para evitar problemas.

Fonte: https://br.ign.com