Você é um líder socialmente inteligente?

Inteligência Emocional é condição sine qua non da Liderança. Os líderes mais eficazes são semelhantes em um aspecto crucial: todos possuem um alto grau do que passou a ser conhecido como Inteligência Emocional. Quando observamos as competências dos profissionais hoje em dia, podemos dividir em 3 grupos: Habilidades técnicas, como contabilidade e planejamento de negócios; Habilidades cognitivas, como raciocínio analítico; e competências que demostram Inteligência Emocional, como capacidade de trabalhar com os outros e eficácia ao liderar mudança.

Sem dúvida que o intelecto é um propulsor de desempenho, o que acontece é que quando você passa a ter um time homogêneo em qualidade de conhecimento técnico e cognitivo será a Inteligência Emocional o fator diferenciador. Em outras palavras, quanto mais alto o cargo de uma pessoa com desempenho excelente, mas a capacidade de Inteligência Emocional aparece como a razão de sua eficiência.
São quatro os componentes da Inteligência Emocional: autoconsciência, autogestão, empatia e habilidades sociais.

Autoconsciência significa uma compreensão profunda das próprias emoções, forças, fraquezas, necessidades e impulso. Ela se revela como franqueza e uma capacidade de se autoavaliar realisticamente. Por esse motivo que um bom programa de liderança inicia com autoconhecimento, pois sem saber de si o líder terá muita dificuldade de perceber as diferenças no outro. Para sua reflexão…
1.O que te ajuda estar consciente de seus sentimentos e por que se sente assim?
2.Por que estar consciente de suas limitações, bem como de suas forças pessoais facilita a sua atuação como líder?

Autogestão é o componente da Inteligência Emocional que nos liberta de sermos prisioneiros de nossos sentimentos. Os impulsos biológicos dirigem as nossas emoções. Não podemos eliminá-los e sim administrá-los. É a nossa conversa interior continua. Os sinais do autocontrole emocional são fáceis de perceber: uma propensão pela reflexão e ponderação; adaptação à ambiguidade e mudança; e integridade – uma capacidade de dizer não aos impulsos. A motivação é o caminho que os lideres mobilizam as emoções positivas para buscar e realizar suas metas. Aqui mais três perguntas para sua reflexão…:
1.Como você lida com suas emoções negativas – por exemplo, recuperar-se rapidamente quando fica contrariado ou tenso?
2.Qual a sua estratégia para adaptar-se a realidades em mudanças?
3.Como você mantém o foco em seus objetivos principais e nos passos necessários para chegar lá?

Empatia das quatro dimensões da Inteligência Emocional é a mais fácil de ser percebida. Significa levar em conta ponderadamente os sentimentos das pessoas no processo de tomar decisões inteligentes. A empatia é importante como um componente da liderança por ao menos três motivos: o número cada vez maior de equipes (sentir e entender os pontos de vista de todos ao redor da mesa), o ritmo veloz da globalização (compreender as sutilezas da linguagem corporal e a importância das diferenças culturais e étnicas) e a necessidade crescente de reter talentos (conhecer, desenvolver e conservar os melhores na empresa). Aqui uma pergunta para sua reflexão…:
1.De que maneiras você consegue perceber os sentimentos das pessoas com quem interage e entender as formas delas de ver as coisas?

Habilidade Social é a cordialidade com propósito. Pessoas socialmente hábeis tendem a ter um amplo círculo de conhecidos e têm o dom para chegar a um denominador comum com pessoas de todos os tipos. Acreditam que sozinho não se realiza nada de importante, por isso são eximias em gerir equipes – é a sua empatia em ação. São mestres na persuasão – uma manifestação da autoconsciência, autogestão e empatia combinados. Aqui mais duas perguntas para sua reflexão…
1.Qual a sua estratégia para pedir a colaboração de pessoas que você não tem autoridade?
2.Quais as vantagens de trabalhar bem em equipe?

Lembre-se: as competências de inteligência emocional podem e devem ser desenvolvidas e aperfeiçoadas.

Aqui vai uma dicaduka: no momento que a sua emoção for “sequestrada” e você começar a agir por impulso…é aí que a pratica Inteligência Emocional se torna importante. Busque uma ressignificação, ou melhor dizendo, procure ver a situação por outro contexto. Com a atitude mental correta não apenas você muda a forma como se sente em relação a uma experiência, como também altera os resultados objetivos dessa experiência.

Por Professor Paulo Campos, possui 20 anos de experiência em soluções de aprendizagem (Ensinar, Aprender e Liderar). Desde 2000 já realizou mais de 1.800 palestras para 80 mil pessoas nos temas relacionados ao comportamento humano nas áreas de Liderança, aprendizado de adultos e gestão de pessoas. – Exame.abril.com.br

Foto: Divulgação.