As 4 perguntas que você precisa se fazer antes de seguir os passos da Ambev

Quer começar a investir seu orçamento em conteúdo que promova a interação com seu consumidor?

Quer se tornar top of mind sem precisar pagar para aparecer na TV em horário nobre?

Quer fazer essas duas coisas e ainda por cima fortalecer a cultura da sua marca.

Então, antes de começar a filmar, confira os passos da Ambev para chegar lá e aplique esses passos à sua realidade.

1) Quem é minha audiência?

Antes de começar a pensar no tipo de conteúdo, o time da Vivian Fowler precisou entender quem era o consumidor-alvo dessa ação. No Marketing de Conteúdo, geralmente montamos nossas buyer personas, não é? Pois é, caso você já possua suas buyer personas bem definidas e registradas, você já está na metade do caminho. Afinal, você já possui uma visão bem complexa de quem é sua audiência – e isso é ótimo. Porém, mesmo conhecendo sua audiência profundamente, a Ambev teve que ir além para conseguir criar roteiros que fizessem sentido.

Ao ser questionada sobre o método usado para identificar toda a complexidade da audiência, Vivian comentou que não ouve apenas um método, mas vários. Entre as dicas que ela deu para que uma empresa com menos orçamento voltado para essa etapa do processo possa acumular informações relevantes, a principal foi: as informações estão na rua! Vá para a rua.

Foi para a rua? Ótimo! Alguns pontos que podem ser analisados nesse momento de contato direto com seu cliente são:

  • Comportamento: converse com seu público, faça boas perguntas, avalie não só as respostas, mas o comportamento todo;
  • Rotina: você pode escolher algumas pessoas com o perfil de seu interesse para fazer esse acompanhamento mais profundo no dia a dia de sua audiência;
  • Vocabulário: entenda que palavras são utilizadas e em que momentos;
  • Interações: compreender com que tipos de pessoas esse público interage (familiares, amigos, garçom do bar) e como (que vocabulário é usado com cada grupo de pessoas);

Todas essas informações sobre a sua audiência, farão com que você consiga não somente criar histórias mais relevantes, como também consiga acertar na criação de personagens com quem seu público irá se identificar. Além disso, você também terá insights sobre como seu produto se encaixa nessas histórias e como ele pode ser retratado para que a série continue leve, sem tom propagandista.

Nas palavras da Vivian, o maior segredo para realmente ir de encontro a esse consumidor e o que ele espera de você como marca é tirar o consumidor de um pedestal, trazê-lo para perto, gerar proximidade. Ou seja, perceba que seu consumidor é tão humano quanto eu e você: isso ira permitir que você realize pesquisas profundas mesmo com um orçamento pequeno.

2) Posso dosar ficção e realidade em uma superprodução?

Depois de conhecer sua audiência nos mínimos detalhes, identificar seu vocabulário, suas lutas diárias e seu comportamento frente a tudo isso, é hora de começar a pensar na história que você quer contar. E, acredite: você quer criar uma história que seja:

  • Fictícia o suficiente para que seja interessante; e
  • Real o suficiente par que sua audiência se identifique com ela.

Para criar essa história que mistura ficção e realidade, a Antártica criou uma história que retrata as dificuldades de dois profissionais que estão tentando se tornar bons garçons: #QuaseNumaBoa. O ambiente principal é a Academia da BOA, a escola de garçons em que esses profissionais estão sendo treinados. Se você tiver um tempinho para conferir a descrição dos personagens, vai perceber que cada um deles foi criado para retratar pontos diferentes de personalidade que foram identificadas nessa pesquisa. Dessa forma, a audiência, possui diversas opções de personagens com quem se identificar na mesma série.

Academia da BOA: ficção que se tornou realidade

A repercursão da série fez com que fosse criada também a Academia da BOA na vida real, que é uma escola de garçons criada pela Antarctica e certificada pelo Senac. Parece muito para sua empresa? Mas quem sabe você também não chegue lá, não é? Afinal, ter seu próprio certificadopode ser uma forma de disseminar a cultura do seu negócio e também uma fonte de leads – tudo depende da abordagem do seu curso. De qualquer forma, uma coisa é certa, criando uma certificação bem feita, você ocupará mais espaço no mercado, garantindo cada vez mais autoridade, então pode ser uma ótima estratégia se você tiver tempo e time para desenvolvê-la!

3) Como engajar a audiência sem uma superprodução?

É claro que cada personagem criado para a Websérie da Academia possui características bem afloradas, que é o que dá o tom cômico para o roteiro. Como a Antarctica preparou roteiros e personagens complexos, também precisou contratar grandes atores e um time todo de profissionais para fazer com que o resultado fosse assim. Se você possui um orçamento legal para investir em algo nesse nível, ótimo! Vá em frente sem olhar para trás! Mas se você possui uma empresa pequena com um orçamento mais humilde e esse tipo de abordagem pareça estar fora de cogitação, há outras saídas para você – inclusive algumas testadas e aprovadas pela própria Antárctica!

Crie um Youtuber

Você ainda não possui recursos para produzir uma série interna com diversos atores. Tudo bem. Então, que tal criar um Youtuber? A própria Antárctica acabou transformando o Marcelão (personagem principal da Websérie) em Youtuber. Legal, não é? O que faz com que o canal do Marcelão Youtuber seja diferente da Websérie, é que no canal, o Marcelão fala diretamente com quem está assisitindo o vídeo e toca em assuntos específicos – no mesmo formato que Youtubers normalmente usam. Por exemplo, em um dos vídeos ele ensina “Como abrir uma garrafa de cerveja sem abridor”.

Claro que o formato dessa série de vídeos continua sendo cômica porque é um personagem fictício falando. Então, ainda exige um roteiro e um ator profissional na execução desse tipo de trabalho. Se esses fatores couberem melhor em seu orçamento, perfeito. Caso contrário, você ainda pode testar outras possibilidades.

Trabalhe em parceria com um Youtuber

Sabia que sua audiência provavelmente já segue algum Youtuber de forma ferrenha? Inclusive, é possível que um Youtuber já até mencione a sua empresa, sua marca, seu produto – e você nem saiba. Que oportunidade perdidade, não é? Pois é! Há muitas pessoas dentro do Youtube produzindo conteúdo sobre as marcas de que gosta (e até que não gosta) de graça, aguardando o momento em que elas irão interceder e sugerir uma parceria. Então, essa pode ser uma grande oportunidade para você!

Algumas empresas menores já têm explorado essa possibilidade, como é o caso da cervejaria artesanal Stannis, que enviou uma nova cerveja que estava pronta para ser lançada para o Youtuber Tucano, do Canal a Maravilhosa Cozinha de Jack. O canal possui uma audiência grande de pessoas que se consideram nerds, apreciadores de cerveja e de gastronomia. O resultado da parceria? Uma cerveja batizada pelo Youtuber e uma receita feita para harmonizar com essa cerveja. Para a cervejaria, o impacto é em reconhecimento da marca (o vídeo da receita possui mais de 160k visualizações) e buzz. Viu só? não é necessário ser uma multinacional para criar algo legal que agrade sua audiência!

 

 

 

Fonte: contentools.com.br