Qual é o Papel do Design Gráfico nas Empresas?

Iremos estabelecer aqui os princípios que formam o design e as áreas que vem crescendo juntamente com matérias de profissionais da área que vão nos iluminar com o seu conhecimento para então nós entendermos o que é design e qual é o trabalho do designer.

Todo designer, ilustrador, artista ou web designer precisa de um portfólio e de conhecimento, precisa pesquisar, precisa analisar o que o cliente quer, o designer é o grande editor do mundo e é importante que esse trabalho seja mostrado, proponho á todos que lêem este artigo que me mande um trabalho experimental por que aqui é o espaço para divulgação, a Falle Criativo quer que você seja visto no mercado, desabafe sobre a área, conte suas experiências e o que você acha da área, isso vai fazer com que você seja visto, um bom portfólio ou algo interessante que você posta na web é a porta de entrada para o mercado de trabalho. Tanto faz se você optou, ou vai optar por uma carreira como freela ou se prefere ser um profissional contratado, o importante é ser visto, vale a pena portanto investir suas idéias com alguma coisa, não basta somente ter boas idéias, é preciso mostrar quem realmente você é, quais são suas habilidades? a Falle Criativo quer fazer o mundo te ver.

Companhias de diferentes setores reconhecem a importância de ter um profissional de design ou uma agência de design atendendo as suas demandas criativas com um planejamento estrutural bem consolidado. Se, em grande parte dos casos, a programação visual será a responsável pela decisão final do consumidor no momento de compra, é essencial que ela seja desenvolvida com foco em beleza, legibilidade e, principalmente, atendimento dos desejos ocultos do público-alvo.

Dessa forma, o designer não é mais visto como alguém que organiza informações no layout das embalagens dos produtos e sim como uma figura estratégica para as companhias. Os produtos devem comunicar as suas finalidades e o seu potencial de solução de problemas assim que entram no campo de visão dos consumidores. Porém, o design começa muito antes, na ideia formada no inconsciente do público a respeito de determinada marca.

Enfim, o que é design?

Design é um processo técnico e criativo relacionado à configuração, concepção, elaboração e especificação de um artefato. Esse processo normalmente é orientado por uma intenção ou objetivo, ou para a solução de um problema.

Mas essa definição não é suficiente para definir o que é design.

Design é projeto, não é simplesmente um processo técnico criado por computadores, fazer design não é simplesmente diagramar uma página, embora a diagramação possa ser uma das ferramentas de trabalho de design, também não é a ilustração, embora esta possa ser um dos elementos utilizados pelo profissional para a consecução de um projeto e por sinal existem muitos ilustradores bons, muitas pessoas que expressam suas emoções fazendo este tipo de trabalho, como por exemplo o trabalho de grafite, design é uma atividade de combinação, design se consiste num todo que é formado, tanto por textos diagramados como por elementos tipográficos de maior destaque e estudos de uma melhor tipografia para o projeto, enfim, design é um conjunto de elementos visuais que compõe um projeto.

Design tem a função de seduzir, de esclarecer, de resolver problemas e o trabalho do designer é editar o mundo, dar forma ao mundo, resolver os problemas, pense e reflita na sua vida o que precisa ser mudado, olhe para o seu bairro e o que você poderia fazer para mudar a situação, projete sua idéias e busque referências, não se limite apenas no computador, explore o mundo e edite, você pode transformar o mundo.

Design enquanto profissão requer uma metodologia, requer que o profissional não fique preso sendo escravo de seu computador mas que ele tenha o controle em tudo que é envolvido no projeto e desta forma ele busca meios alternativos para a consecução do projeto.

Na filosofia o substantivo abstrato design refere-se a objetividade, propósito, ou teleologia. O conceito é bastante moderno, e se interpõe entre idéias clássicas de sujeito e objeto. O design é então oposto a criação arbitrária, sem objetivo ou de baixa complexidade.

Para Flusser o design não começa com a ciência, não com a apreciação de objetos fabricados, não com a visão dos criadores, mas com o significado das palavras.

O design, como todas as expressões culturais, mostra que a matéria não aparece (é inaparente), a não ser que seja informada, e assim, uma vez informada, começa a se manifestar (a tornar-se fenômeno). A matéria no design, como qualquer outro aspecto cultural, é o modo como as formas aparecem” (FLUSSER, 2010, p. 28).

 

 

Fonte: fallecriativo.com.br