Conheça a história do primeiro site publicado na Internet: ‘The Project’

uem usa a Internet agora pode até não imaginar como ela era no passado.

Você já se perguntou qual foi o primeiro site a estar online? Conheça o The Project, página pioneira na Internet criada em 1991 por Tim Berners-Lee, físico do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN), considerado o pai da Web.

Esqueça imagens, vídeos ou animações. Há mais de 20 anos, a Internet era assim: estática. O site sob o domínio info.cern.ch/hypertext/WWW/TheProject.html entrou no ar em 6 de agosto de 1991. O site descreve detalhes da World Wide Web, ideia do próprio Berners-Lee, e celebra 24 anos em 2015.

A WWW tinha como objetivo inicial permitir que os profissionais do CERN trocassem informações científicas a partir de seus próprios computadores. Assim, eles não necessariamente precisariam estar no mesmo espaço físico para saber sobre o andamento de um projeto, bastando apenas estar conectado ao servidor online.

O site do The Project serviu de teste para isso. Na página, os usuários poderiam buscar informações sobre os códigos necessários para criar um site semelhante, os softwares utilizados,  referências bibliográficas e também o contato do pessoal envolvido no projeto.

A página também serviu como demonstração de hipertextos aplicados à Internet. Bem antes, em 1980, Berners-Lee já tinha sugerido utilizar o conceito para facilitar o compartilhamento de informações entre os funcionários do CERN. Hoje, é impossível imaginar a Internet sem os hiperlinks.

Máquina e navegador

Todo o projeto do primeiro site do mundo foi desenvolvido usando um computador da NeXT. A empresa foi criada por Steve Jobs, em 1985, após ele ser forçado a deixar o comando da própria Apple.

O sistema operacional NeXTSTEP foi considerado ideal por ser multitarefa e ter uma orientação a objeto otimizada. O servidor de hospedagem também era baseado nos computadores da NeXT.

Assim como é hoje, para acessar o site era necessário ter um navegador. Por isso na própria página tem uma área dedicada aos browsers da época. Nela era possível ter acesso as informações sobre navegadores para diversas plataformas, como Macintosh, Unix e, claro, para NeXT.

Fonte: https://www.techtudo.com.br