Chargeback – O que é e como lidar para evitá-lo

Chargeback – O que é?

Bastante conhecido entre os empreendedores e gerentes de e-commerces, o chargeback é, infelizmente, um termo que representa um grande problema.

Basicamente, o chargeback é uma palavra utilizada para apontar quando um pagamento é cancelado.

Por exemplo, seu e-commerce recebe o pedido de uma compra, mas a operadora de cartão cancela o pagamento. Ok? Aí você pode pensar:

  • “Basta que eu cancele a compra, não envie o produto e tudo certo!”.

Não. Nesse caso o problema é mais complexo do que você imagina.

Se você ficou confuso, não se preocupe, a gente vai exemplificar a situação de forma mais aprofundada.

  • Vamos imaginar que um cliente está realizando uma compra no seu e-commerce nesse momento.
  • Então, para finalizar o pedido, ele primeiramente precisa informar seus dados pessoais e logo após o da sua forma de pagamento. Nesse caso, os dados do cartão de crédito.
  • Após essa etapa, sua loja registra o pedido, separa o produto, manda para o setor de embalagem, para a transportadora e despacha o produto ao destinatário.
  • O grande problema começa aqui. Como o pagamento só é repassado para o e-commerce depois de duas semanas, mais ou menos, do processo feito pelo “suposto cliente”, a operadora do cartão avisa que o pagamento foi cancelado e que a compra não foi confirmada porque houve uma possível fraude.

Um enorme problema, concorda? Toda essa situação pode ser descrita como chargeback.

Isso quer dizer, quando o pagamento de uma compra é cancelado, seja através da operadora do crédito ou até mesmo via débito.

A questão fica ainda mais complexa, pois há diversas ocasiões em que o chargeback pode ocorrer.

Vem descobrir!

Em quais ocasiões o chargeback pode acontecer?

Podemos dizer, infelizmente, que o chargeback pode ocorrer em diversas ocasiões, por isso, é muito importante que você as conheça. Afinal, desse modo, é possível evitá-las com mais eficácia.

Como lhe dissemos acima, a facilidade de cometer delitos na internet ainda é grande. A cada dia que passa, pessoas má intencionadas desenvolvem métodos para cometer fraudes.

Então, atente-se e diminua os riscos.

Dentre as ocasiões mais comuns em que o chargeback aparece, estão:

  • Compra não reconhecida – Esse é um tipo de fraude onde o suposto comprador avisa sua operadora de crédito ou banco que não foi ele quem fez a compra, negando o reconhecimento da aquisição. O complicado dessa situação é que há grandes chances do dono do cartão ser, realmente, vítima. Seja por que seu cartão foi clonado ou seus dados roubados, inclusive, na própria internet. Caso o próprio dono do cartão faça isso, esse chargeback é denominado por auto fraude.

 

  • Falha na transação – Essa é uma das mais comuns e trata-se do pedido de estorno do pagamento, pois “supostamente” não houve a entrega do item adquirido na compra.

 

  • Erro de processo – Aqui o chargeback ocorre por um erro no sistema que acaba cobrando mais do que o preço sugerido e exibido no e-commerce. Devido a situação, o consumidor entra em contato com a operadora do cartão ou banco e pede estorno, podendo, inclusive, desistir da compra.

Há outros tipos de chargeback, mas o que apresentamos, sem dúvidas, são os mais comuns.

Agora que você já os conhece, lhe daremos dicas de como evitá-los em seu e-commerce.

Chargeback – Como lidar para evitá-lo?

Nós, do Mestre do Adwords, precisamos lhe dizer que antes de qualquer medida, você precisa ter em mente que a evolução nos métodos de fraudes via internet é constante e em alta velocidade.

Por isso, é sempre importante que você fique atento, independente, das medidas de segurança que você já tenha aplicado em seu e-commerce.

Os riscos estão aí, prontos para que você se exponha à eles. O que você precisa fazer é lidar para evitá-los ao máximo.

No caso dos chargebacks, procure tornar a verificação de dados do cliente o mais segura possível.

Cheque o endereço de entrega do produto, os dados do cartão utilizado e se for preciso, ligue para o cliente para fazer a confirmação.

Se perceber qualquer atividade incomum ou suspeita, desconfie. Por exemplo, se acontecer um número expressivo de tentativas de compras em um mesmo cadastro, em um curto espaço de tempo, sem dúvidas, essa é uma situação em que o alerta deve ser acionado.

Fique atento à quantidade de cartões cadastrados em uma mesma conta. Esse é um dos grandes indícios de fraude.

Se você não tem condições de realizar essas verificações pessoalmente, não hesite em formar uma equipe para cuidar dessa área.

Sem dúvidas, isso diminuirá e muito a incidência desse problema que causa tantos prejuízos.

 

 

Fonte: mestredoadwords.com.br