Pesquisa aponta tendências para a publicidade na web

A publicidade online total no Brasil crescerá cerca de 4, 54% em 2015, se comparado ao ano anterior, consolidando movimentações na casa dos R$ 6,8,bilhões. Este valor soma os investimentos em Display e Patrocínios, que poderá alcançar aproximadamente a marca de R$ 2,4 bilhões, e Search, que representará R$ 4,4 bilhões. Os dados são da E-Consulting, boutique de estratégia e projetos líder em criação, desenvolvimento e implementação de serviços profissionais em web.

Os números mostram que as inovações no campo da propaganda online têm sido abundantes nos últimos anos. Entre os mercados que mais investem em publicidade na web estão Convergência – Telecom, mídia e internet (23%), Bens de Consumo (18%), Financeiro (14%), Automobilístico (13%), Varejo e e-commerce (11%). e Turismo e Transporte Aéreo (7%)

Além dos números, a pesquisa, feita com principais agências de publicidade do País no período de março e abril, também detectou as cinco tendências que estão tanto no radar teórico, quanto no prático, da publicidade online.

A conclusão é que está cada vez mais difícil para anunciantes e agências gerenciar a miríade de plataformas, canais e conteúdos. Por conta disso, é de se esperar o surgimento de plataformas de gestão integrada de campanhas, criando iniciativas de integração e gestão similar às ferramentas observadas para a gestão de redes sociais.

Tendo em vista a complexidade e a velocidade de transformação das plataformas digitais, vale ressaltar que ambas requerem um conhecimento especializado. Neste contexto, a qualidade da publicidade online será determinada pela capacidade das agências e anunciantes em desenvolver estratégias de marketing que incluam os elementos digitais e online, pensando sempre nas que melhor se adéquam aos objetivos da campanha. A qualidade do acesso e do relacionamento com produtores de conteúdo, em especial os editores para celulares e geradores de leads será o elemento diferenciador para agências e anunciantes.

Outro fator a ser destacado é o desenvolvimento de iniciativas de publicidade com elementos sociais nas redes sociais, que tem sido benéfico para as campanhas de marketing, pois conteúdos relevantes e feeds sociais permitem a interação e o compartilhamento com outros usuários. Certamente, os proprietários de mídia e conteúdo, como os grandes portais (Globo.com e Terra, por exemplo) tentarão se apropriar disto de alguma forma, passando desempenhar um papel mais importante nas redes sociais e a complementar a estratégia dos seus anunciantes. Em outras palavras, os portais de conteúdo tentarão abocanhar a fatia dos investimentos dos anunciantes nas redes sociais.

Mas é preciso focar a mídia do produto em questão para anúncios verdadeiramente digitais. Diversas funcionalidades desenvolvidas nos últimos tempos criaram experiências online cada vez mais personalizadas para os usuários. As iniciativas de publicidade continuarão a seguir esta tendência para manterem a sua parte no share of attention dos internautas. Os dias dos pop-ups e banners online dão lugar a anúncios digitais cada vez mais interativos e integrados à navegação.

A razão disto é simples: anúncios que se integram visualmente às páginas têm maior eficácia. Exemplo disto são as páginas da rádio online Last.fm, que permite a um grande número de marcas se integrarem ao layout de suas páginas.

Segundo Daniel Domeneghetti, autor da pesquisa e CEO da E-Consulitng, não é surpresa o fato de que os orçamentos em publicidade estão se direcionando da mídia impressa para a mídia online, ao invés de se originarem dos orçamentos de TV

“A internet foi avaliada como um meio superior à TV e à mídia impressa, pois permitiria desenvolver campanhas mais eficazes e, ao mesmo tempo, racionalizar os investimentos em publicidade”, explica Domeneghetti.

Seguindo esta tendência, o caminho aponta para o aumento da demanda de anunciantes por publicidade em Vídeos online, em especial Youtube e Vimeo, que crescem à taxas significativas.

Fonte: Administradores.com.br | Foto: Divulgação.