O que é marketing de guerrilha?

O que é marketing de guerrilha?

O ser humano sempre viu na necessidade de se reinventar oportunidades para inovar e encontrar soluções criativas.

Na hora de divulgar —  seja produtos, serviços ou mesmo ideias de utilidade pública — isso não é diferente.

Na verdade, podemos dizer que o marketing, nas suas muitas formas, oferece o espaço perfeito para essa inovação.

Uma delas, chamada marketing de guerrilha, vem ganhando espaço pelo alto impacto que causa, mesmo sem gastar muito. Parece bom, não é?

Veja o que é o marketing de guerrilha

O termo marketing de guerrilha faz jus ao nome que leva, já que é mais direto e, por vezes, até mais agressivo que outras formas conhecidas de divulgação.

Aliás, não é difícil entender o porquê: basta ver a origem do nome, que foi criado pelo publicitário americano Jay Conrad Levinson no final dos anos 70, inspirado pela guerra do Vietnã.

Mesmo com um poder de fogo bem menor, os vietnamitas conseguiram passar por cima das limitações usando táticas de guerrilha e superaram seus adversários.

Trazendo esse conceito para o mundo do marketing, a ideia é aumentar bastante o impacto da ação sobre o público com um investimento baixo.

Por que vale a pena investir no marketing de guerrilha?

Faz todo o sentido saber que essa forma de marketing vem crescendo mais e mais a cada dia, já que a promessa é fazer mais com menos.

Mas, indo um pouco além, o que faz com que os resultados sejam tão expressivos assim? Entender isso vai ser a chave para saber como criar ações de sucesso.

Se formos comparar o modelo do marketing de guerrilha com o marketing tradicional, nem sempre vamos encontrar grande diferença em termos técnicos.

Afinal, ambos contam com anúncios que tentam atrair a atenção das pessoas para um produto, serviço ou ideia. O diferencial está mesmo na abordagem.

Hoje em dia, todos nós somos bombardeados com um volume gigantesco de informações, tarefas urgentes e prazos apertados.

Sendo assim, é natural ficarmos mais seletivos quanto ao que merece nosso tempo e atenção, não concorda?

Por isso, os anúncios convencionais se tornaram uma distração facilmente descartável. Ninguém quer ser incomodado por propagandas inconvenientes.

O marketing de guerrilha, por outro lado, é feito para ser tão chamativo que se torne impossível de ignorar, criando acima de tudo uma impressão duradoura na mente dos clientes.

Mais ainda, o foco está em provocar uma reação no consumidor, talvez por fazê-lo reavaliar suas prioridades e hábitos pessoais, métodos de trabalho ou mesmo por “cutucar” um concorrente de modo direto.

Fonte – marketingdeconteudo.com