Escolas públicas que têm muita qualidade estão cada vez mais concorridas

A escolha de onde colocar os filhos para estudar não é uma tarefa simples: exige dos pais muita pesquisa, busca de referências e analisar diversos fatores, como o plano pedagógico, estrutura, distância e deslocamento e, nos dias atuais, valores de investimento. E esse é um dos pontos que mais preocupam os pais, principalmente pais com mais de um filho.

Uma das alternativas encontradas pelos pais é escolher escolas públicas, pois não há mensalidades, sendo um investimento baixo. Mas, esta escolha pode comprometer a qualidade de ensino, já que na rede pública, o aluno pode não ser tão cobrado nas disciplinas e tarefas.

A dona de casa Orleane Aparecida Martins dos Santos encontrou uma forma inteligente e econômica para garantir qualidade de ensino aos seus filhos: ajudá-los a conquistar uma vaga em colégios públicos que exigem processo seletivo para ingressar, como o caso do Colégio da Polícia Militar do Paraná. Mesmo sendo público, o colégio conta com toda a estrutura da Polícia Militar –  CPM, que inclui a disciplina, atividades extra curriculares e base pedagógica exclusiva. Com todas essas vantagens, a disputa por uma vaga é grande, exigindo a aplicação de um processo seletivo para preencher as vagas disponíveis.

Orleane conta que sua filha mais velha, hoje com 22 anos, foi quem apresentou essa opção de colégio, quando ingressou no ensino médio. “Ela se interessou em fazer as provas de seleção do ensino médio e foi aprovada em todos os colégios que tentou. Hoje ela é universitária, e ensinou o caminho para os irmãos”, explica a mãe. Hoje, Gabriel Wesley Barbosa dos Santos, de 14 anos, e seu irmão, Daniel Henrique Barbosa dos Santos, com 11, cursam o nono e sétimo ano, respectivamente, no CPM. Ambos foram aprovados no processo seletivo e, segundo a mãe, estão adorando o colégio. “Eu percebo a mudança, desde que eles entraram para o CPM. Eles estão mais disciplinados em relação as tarefas escolares e em casa também, mais organizados em tudo. Até na reação diária, estão mais educados, se comportam melhor”, elogia Orleane, que diz que, no ínicio, temeu a prova seletiva. “Eles eram bem novinhos, crianças de 10 anos, já passando por provas, como um vestibular. Mas isso foi muito bom, assim eles aprendem desde cedo como é o mercado de trabalho”, analisa.

Para conquistar a vaga no CPM, Gabriel e Daniel fizeram um curso preparatório, para chegar com alto nível à prova. O diretor do Approvi, Luciano Kaled, explica que a procura dos pais pelo curso preparatório para as crianças é cada vez maior. “Os pais e os filhos sonham com uma vaga nesse colégio, e investem em um bom curso preparatório, para capacitar os pequenos para a prova”, explica Luciano. De acordo com o diretor do Approvi, por serem crianças, as aulas do preparatório contam com atividades voltadas a idade dos pequenos, além de momentos de descontração e motivação. “Não podemos esquecer que, mesmo sendo uma prova seletiva, os alunos ainda são crianças. Temos muito cuidado com eles, pois ainda estão em formação, precisam de uma atenção maior e especial”, destaca.

 

Conhecendo o CPM

O Colégio da Polícia Militar de Curitiba foi fundando em 1959 e, hoje, conta com 1.500 alunos nos três turnos, para o ensino fundamental e médio. O que o diferencia dos demais colégios da rede pública é que seu comando é feito pela Polícia Militar. No CPM, os alunos usam farda, prestam continência aos policiais e obedecem uma disciplina rígida: desde o cuidado com a farda e cabelos, a dedicação ás matérias escolares e respeito pelos colegas e professores. E aí está um dos maiores mitos relacionados ao CPM: a disciplina. Segundo o Capitão Marcelo Toniolo de Oliveira, comandante do colégio, muitos pais têm medo por desconhecer o que é a disciplina aplicada. “Nossa disciplina os ensina a respeitar as autoridades, o que reflete em um cidadão melhor para a sociedade. Não são policias, são alunos que precisam aprender como se comportar em sociedade, respeitar professores e pais, e se dedicar aos estudos. Nós cuidamos muito do aluno, pois essa é a fase de formação de caráter, exige muita atenção e cuidado”, explica o capitão.

Toniolo destaca que no CPM o aluno é bastante cobrado para ter bons resultados, mas que há uma grande equipe pedagógica pronta para ajudar. “Nós cobramos mais para que o aluno tenha mais resultados e estejam mais preparados para uma faculdade e o mercado de trabalho. Temos excelentes professores, psicólogos, pedagogos, prontos para auxiliar todos os alunos, para que eles possam conquistar o máximo de aprendizado enquanto estiver conosco”, declara o comandante da instituição.

Além do ensino regular, no CPM, as atividades extra curriculares envolvem ainda mais o aluno. Fora da grade escolar convencional, os alunos podem participar de aulas de natação, futebol, basquete, além da banda oficial do colégio. Para participar, há uma pequena contribuição, arrecadada pela Associação de Pais e Mestres – APM. Dependendo do número de vagas disponíveis, até pais e a comunidade em geral podem usufruir dessas atividades.

Mensalmente, os pais dos alunos do CPM contribuem com uma pequena mensalidade. Segundo Orleane, perto das mensalidades praticadas pelos colégios particulares, e em vista da estrutura oferecida, o valor é muito pequeno. “Pra eles e para mim, é um sonho vê-los indo para a aula de farda, motivados. Eu vejo como eles se desenvolveram desde que ingressaram na escola”, conta, feliz.

Para ingressar no CPM, o aluno precisa se submeter a um processo seletivo. Por se tratar de um colégio da Polícia Militar, a disputa acontece da seguinte forma: vagas exclusivas para filhos de militares, e vagas para civis. No último processo seletivo, segundo Toniolo, foram 90 vagas para o ensino médio, e 120 vagas para o ensino fundamental. Para o médio, houve uma disputa de 25 candidatos por vaga; no fundamental, foram 18 candidatos para cada vaga. Em média, 30% das vagas são destinadas aos alunos que não são filhos de militar, deixando a disputa ainda mais concorrida.

Mesmo com a concorrência, Daniel ficou em primeiro lugar entre os aprovados de 2014. Motivo a mais de comemoração em casa. “Nós ficamos muito felizes, com os dois, por serem aprovados. Estão muito satisfeitos e vemos que eles estão indo às aulas motivados, empolgados. É uma realização para nós, como pais”, declara Orleane. Daniel fez o curso preparatório no Approvi, e se dedicou bastante para conseguir a vaga. “Mesmo sendo pequeno, Daniel sempre se mostrou motivado e dedicado nas aulas, e conseguiu a tão sonhada vaga”, lembra Luciano, diretor do Approvi. Em setembro, será divulgado o edital para a seleção dos novos alunos para 2016.

 

Serviço:

Colégio da Polícia Militar do Paraná – CPM | Rua José Ferreira Pinheiro, 349 – Portão | (41) 3314-8050 | www.apmf-cpm.com.br

Approvi Cursos Preparatórios | Rua Maranhão, 1094 – Água Verde | (41) 3018-0003 | www.approvi.com.br

Por Franciele Lima, jornalista da Vulgata | Foto: Louise Possobon.