Erros que as empresas cometem nas redes sociais

Erros que as empresas cometem nas redes sociais são comuns. Fazer-se presente no meio digital é praticamente uma obrigação para qualquer empresa atualmente, o que não quer dizer, no entanto, que exista uma fórmula perfeita para atuar nesse espaço ao mesmo tempo incrível e tão incerto quanto é a internet.

Apesar de já parecer uma velha conhecida, a rede ainda é um território em processo de exploração, principalmente para as marcas, e é necessário ter cautela ao traçar estratégias para atuar no online.

Segundo Camila Porto, especialista em marketing na internet, existem alguns erros recorrentes cometidos pelas empresas.“É preciso estar atento para corrigi-los no mesmo instante, caso contrário os investimentos em anúncios podem se transformar em dinheiro jogado fora”, alerta a especialista.

1- Achar que vender na web é fácil 

Muita gente acredita que, ao fazer um anúncio no Facebook, vai conquistar rápidas vendas. “Vender é difícil em qualquer lugar, por isso é preciso encarar a venda online como um processo tão complexo quanto a venda física”, explica Camila. “A vantagem da rede social é que o anúncio é focado no público-alvo”.

2- Não identificar oportunidades de negócios

“Quem vai empreender online precisa ficar de olho nas oportunidades, usando sempre a tecnologia ao seu favor”, explica a especialista, que destaca a importância de observar o que o público mais precisa no momento, como um aplicativo novo ou uma solução para um problema atual.

3- Achar que todo mundo vai comprar 

Segundo a especialista, é preciso delimitar o público-alvo. “Mesmo um produto que pode ser comprado por todo mundo deve ser anunciado para um nicho específico”, destaca. A linguagem e a rede social devem ser condizentes com o público.

4- Encarar como um “trabalho fácil” 

Muita gente associa o trabalho em redes sociais com a expressão “ganhar dinheiro online”. A especialista alerta que o termo correto é “trabalhar online”, já que ganhar dinheiro requer muito esforço. “Para o seu negócio ser financeiramente saudável, você precisa ter um fluxo de caixa, previsibilidade de receitas, entradas recorrentes e controle de gastos”, resume.

5- Acreditar nos antigos paradigmas de trabalho

Camila destaca que trabalhar online pode ser libertador quando se compreende que é possível atuar de qualquer lugar. “Por isso, o trabalho com redes sociais pode durar muito menos ou muito mais que as tradicionais 40 horas semanais”, explica.

6- Manter-se apenas com um plano 

Camila ensina que o mundo online está sempre mudando, e por isso nem sempre é possível manter os mesmos planos. “Faça os anúncios sempre pensando em um plano B, assim como o seu próprio negócio deve ter uma segunda opção na manga”, resume a especialista.

7- Deixar de lado o espírito empreendedor

A autora do livro Facebook Marketing ensina que ter um CNPJ não faz de ninguém um empreendedor, e para estar nas redes sociais é preciso ter espírito empreendedor o tempo todo. “Para ser empreendedor é preciso aceitar riscos, e ainda seguir com determinação, liderança, visão, coragem e competência”, resume Camila Porto.

8- Dedicar-se parcialmente

Segundo a especialista, ter um negócio online e anunciar nas redes sociais exige dedicação total. “Esquecer um anúncio ou olhar para as redes sociais apenas quando tiver tempo sobrando é uma forma muito ruim de lidar com este tipo de investimento”, ensina.

9- Investir demais

Mais do que investir altas quantias em anúncios no Facebook, Google, Instagram e outras redes, Camila destaca que é preciso ter um planejamento. “É melhor investir um pouco de forma bem planejada e para um público específico, que muito dinheiro para um público que não vai comprar seu produto ou serviço”, destaca.

10- Investir de menos

“Muitas vezes, o empreendedor tem esperança de que no dia seguinte vai dar certo, e continua gastando em anúncios sem ter resultado”, destaca Camila sobre anúncios especialmente no Facebook.

O ideal, segundo ela, é acompanhar diariamente o andamento de todo anúncio. “Mas é preciso tomar cuidado ao mudar o anúncio demais, pois às vezes se perde a capacidade de avaliar o que está funcionando ou não”.

Fonte: adnews.com.br