Denúncias de assédio moral e sexual na URBS serão investigadas

Nesta quarta-feira (21), o vereador Chico do Uberaba (PMN) usou seu tempo na tribuna da Câmara Municipal de Curitiba para cobrar informações sobre os casos de abuso moral e sexual que teriam ocorridos dentro da Urbanização S/A (URBS). O vereador teve acesso ao processo de uma das vítimas, que trabalhou na URBS entre novembro de 2009 a dezembro de 2011, onde se relata o assédio sofrido na empresa. O caso corre em segredo de Justiça, mas já foi confirmado que ouve um acerto financeiro com a vítima, para evitar escândalos, já que o abuso partiu de uma colaborada da URBS que atualmente ocupa um grande cargo na empresa.

Uberaba afirmou, em seu discurso, que a atual diretoria da URBS está sendo conivente com o caso. “As denúncias não foram investigadas a fundo, não foi tomada nenhuma providência interna, nem uma medida para analisar a responsabilidade em relação a conduta indevida da funcionária”, declarou Chico. Na denúncia, também consta que os funcionários de URBS que foram testemunhas da vítima nesse processo foram demitidos. “Isso é abuso de poder”, analisou o vereador.

Chico cobrou informações referentes ao posicionamento do diretor da URBS, Roberto Gregório, e do prefeito de Curitiba Gustavo Fruet. “ O prefeito não pode ficar em cima do muro frente a uma denúncia dessa: ou toma uma providência, ou está sendo conivente”, questionou o vereador, que aponta a intervenção na URBS como solução para esclarecer esse e outros fatos polêmicos que estão em aberto. “Nossa função é fiscalizar. Nós, na Câmara Municipal, temos que nos posicionar sobre esse caso e exigir uma resposta. Curitiba está sendo prejudicada com isso: a URBS está deixando a desejar em suas atividades e cada vez mais se afunda em denúncias e mais denúncias”. Chico do Uberaba protocolou dois pedidos de informações referentes ao caso de assédio moral e sexual na URBS, e aguarda respostas do Poder Executivo.

 

Por Franciele Lima, jornalista da Vulgata | Foto: Assessoria CMC.