Botões de compartilhamento ajudam a conversão?

É difícil encontrar uma página de produtos no e-commerce que não possua botões de compartilhamento como Facebook, Twitter, Pinterest e outros. Isso por um motivo simples: o público da loja é usuário dessas mídias e, apresentando tais recursos, gera-se o senso de atualidade e de interação com o cliente.

Mas, a presença desses botões afeta suas vendas positivamente? Eles promovem a conversão ou prejudicam a negociação? Já pensou nisso?

Conversão ou distração?

Segundo estudo realizado pela Visual Website Optimizer, ao remover os botões de compartilhamento da página de produtos, o site Taloon.com aumentou sua taxa de conversão em 11,9%.

Uma pesquisa feita por Luke Wroblewski, designer de software e diretor de produto do Google, registrou que em 18 milhões de visualizações no Twitter e no Facebook, a porcentagem de clique através dos botões foi de apenas 0,25%.

Outro estudo criado pela GetResponse, detectou que a cada 10.000 e-mails marketing abertos, apenas 34 pessoas clicaram em botões de compartilhamento social.

Afinal, como usar botões de compartilhamento de mídias?

Faça teste A/B. Teste e mensure a conversão de páginas com e sem botões;

Considere usar botões pequenos. Se os testes comprovarem que seus consumidores desejam compartilhar, aposte em botões menores, que não distraiam os visitantes;

Apresente os botões na página de confirmação. Após a página de compra é o momento ideal para encorajar o compartilhamento. Pense primeiro em vendas, depois em social.

Evite botões com contadores. Se sua loja possui bons números de ações, ótimo; caso contrário, apresentá-los pode ser um “tiro no pé”.

Quando há um grande número de compartilhamento da página, os clientes podem até se sentir mais propensos a interagir com o seu conteúdo. Mas, quando há poucas ou nenhuma interação, a qualidade é questionada logo em um primeiro contato.

Por isso, entenda que não é a presença do botão que motivará o compartilhamento, mas o valor do conteúdo; além disso, a realização de testes específicos na realidade de sua loja é que lhe mostrará fielmente quais recursos ajudam ou não.

 

Por Felipe Martins, profissional com mais 10 anos de experiência com internet e é fundador e presidente da empresa Dotstore, especializada em desenvolvimento e assessoria na criação de lojas virtuais. 

Foto: Divulgação.