A psicologia das cores no marketing

Por que esse estudo é importante para o marketing?

Como as cores estão diretamente ligadas ao sentido da visão, elas estimulam o cérebro e provocam uma reação imediata, seja ela positiva ou negativa. Mesmo que a percepção seja subjetiva, cada tom de cor possui um significado amplo e que pode ser aplicado de forma geral. Por exemplo: a cor laranja transmite energia, enquanto a azul dá uma ideia de calma.

Infelizmente, muitas empresas ainda negligenciam essa área em seus projetos de marketing. É por isso que você precisa saber que 93% dos consumidores, segundo pesquisas, consideram como fator definitivo na hora da compra a aparência visual da marca.

De acordo com o Quick Sprout, a cor de um produto representa 85% do motivo de uma compra. Isso quer dizer que escolher equivocadamente as cores da sua marca, anúncios e embalagens pode lhe surpreender negativamente.

Resultados que agradam aos olhos e ao subconsciente

Sabemos que é impossível agradar a gregos e troianos, mas se você buscar por um resultado que agrade aos olhos e ao subconsciente dos consumidores e usar alguns truques, como uma paleta de cores de bom gosto, certamente a tentativa vai lhe render bons frutos! Vale lembrar que uma boa equipe de design saberá aplicar satisfatoriamente as cores que compõem um material atrativo.

Em um layout, por exemplo, deve-se observar como a cor se relaciona ao tema, o que ele quer comunicar, o perfil do público-alvo, a ordem da leitura da página, entre outros aspectos. Isso porque os estímulos sofrem alterações dependendo da sua aplicação e combinação.

Sobre o daltonismo

É importante falar de acessibilidade, afinal, os daltônicos também consomem. Como escolher cores que sejam atrativas para eles, se existe a dificuldade de distinguir e confundir alguns tons, como o verde e vermelho?

Uma boa saída para isso é dar importância também ao preto e ao cinza, por exemplo. Nike e Apple são tipos de marcas muito famosas que se destacaram no mercado, mesmo sem optar por cores berrantes.

Basta recorrer a tons mais sérios e que transmitem aspectos positivos.

Fonte: blog.ingagedigital.com.br